COLLAB PYNABLU

Collab realizada com a Pynablu. A coleção de roupas foi desenvolvida pela marca e personalizada pela artista, resultando em peças exclusivas - Dezembro de 2018

FABIANA MILAZZO - SPFW

Realização de uma colagem para o desfile da Fabiana Milazzo no São Paulo Fashion Week 2019, baseada na música "Casa no Campo", que foi a inspiração da marca para criar a coleção da estação. Foram distribuídos 500 exemplares das colagens, cada um deles com um diferentes intervenções artísticas feitas a mão.

ENTREVISTA UPTIME GALLERY 

  1. Como você entrou para o mundo da Arte? Antes de iniciar a carreira como artista visual, você se formou em Arquitetura, o que fez você ir para Artes Visuais?

Me formei em Arquitetura e Urbanismo pela FAAP, no meio do curso fui fazer um semestre de artes e arquitetura na UAB em Barcelona. Quando me formei, trabalhei durante 3 anos com a minha mãe, que é arquiteta! Sempre gostei do lado do design de interiores, mas ainda não estava 100% feliz com aquilo. Comecei a fazer um curso de três anos de Artes Plásticas na Escola Panamericana, e depois de um ano levando a arquitetura e as artes plásticas, resolvi que era hora de me dedicar ao que eu realmente gostava. Deixei a arquitetura um pouco de lado, e comecei a fazer quadros, peças de acrílico, personalização de bolsas... Participei de vários eventos, algumas exposições. Até que vi que realmente estava dando certo, e além de mim, as outras pessoas gostavam muito do meu trabalho! Decidi abrir o Ateliê JD, há exatamente um ano, e m 2019, e é onde eu penso, produzo, uso minha criatividade, e passo a maior parte dos dias da semana e alguns dos finais de semana. Se eu pudesse definir um ponto onde minha carreira como artista começou, foi com a inauguração do ateliê. De lá para cá as coisas veem crescendo cada dia mais.

 

 

 

 2.Qual a fonte de inspiração para você?

Eu busco inspiração em tudo que eu vejo. Viagens, sebos, vitrines, revistas de moda, jornal, noticias, embalagens de produtos, novos e antigos. Na minha série do luxo ao lixo, da para ver bem essa fonte de inspiração! Eu não deixo ninguém jogar nada fora, se vejo amigos jogando garrafas de cerveja fora, já corro para pegar o rótulo, se alguém viaja já sabe que o melhor presente para me trazer é uma mala de jornal, revistas, caixas de cigarro do país, embalagens, sacolas de marca e etc. Um quadro muito especial que eu fiz, foi agora na quarentena, na “febre” do quebra cabeça. Passei dias e dias montando um quebra cabeça de duas mil peças, na hora que enfim acabou, eu pensei: agora vou desmontar tudo para fazer virar uma arte.

 

3 .Quais Artistas influenciam sua Arte?

Pensando em artistas mais antigos, com certeza um que me influenciou muito no começo foi o Pollock e Picasso. O pollock pelo modo de “jogar” as tintas, e o Picasso com o cubismo, deformando a realidade, que é o que eu faço com as minhas colagens. Além deles, não posso deixar de citar Andy Warhol, Bansky e Damien Hirst.  

4. Como desenvolveu e definiu o seu estilo?

Durante o curso de Artes Plásticas, aprendemos todas as técnicas de pintura, como nus, tinta á óleo, tinta acrílica, natureza morta... Em algum período de férias na Panamericana eles forneciam para os alunos cursos de um dia de diversos temas e um dia fui fazer o de colagens. Desde então nunca mais parei. Cada vez uma técnica, uso de diversos materiais, mas sempre colagens. Todos os meus quadros possuem colagens, jornal e o que eu acho mais lindo da colagem: a mistura. Então gosto de deixar rasgos aparentes, uma coisa menos pintada que a outra, sobrepostas, várias camadas, misturar noticias que saíram hoje nos jornais com revistas super antigas.

5.Que desafios você encontra em ser artista? Você acha que o Artista tem um papel importante na sociedade?

O primeiro desafio é se encontrar. Encontrar a técnica em que você é boa, que gosta de fazer e gostar do que esta produzindo. Depois, disso, acho que o maior desafio em ser artista, principalmente no Brasil, é o mercado. O brasil não é um país onde a arte é valorizada como em países da Europa, por exemplo. Mas acredito que isso está mudando. O mundo está mudando, e muitos novos artistas brasileiros estão sendo reconhecidos aqui e fora. Acredito que isso só tende a crescer. Hoje em dia, com os diversos eventos, exposições e galerias, a arte veem crescendo e se tornando cada vez mais importante na sociedade. A arte agora é para todos, não só para um colecionador, como era antigamente.

 

6.Fale sobre a Mostra “Do Luxo ao Lixo”.

A minha série Do luxo ao Lixo, é a mais importante para mim. Acho que foi ela que me fez crescer como artista e entender no que eu sou boa. Ela mostra o mundo nos dias de hoje, os vícios, a politica, o feminismo e machismo, a sexualidade , o luxo, as diferenças sociais, as religiões, a diversão ... tudo misturado com muita cor, materiais diferentes e humor. O que é luxo e o que é lixo? Essa é a pergunta que me inspirou a desenvolver essa série, é uma pergunta que simplesmente não existe uma resposta certa, e é isso que eu tento passar para o público na minha arte.

 

7.Qual obra sua você destacaria como um marco em sua vida?

Existem duas obras que marcaram minha vida. A primeira delas é o quadro House of Cards, 78 cartas de baralho, feitas uma a uma com colagens de diversas revistas, livros, jornais. Todas as cartas são diferentes e únicas. Essa obra se tornou um marco para mim porque foi uma das primeiras obras com colagens que eu fiz, precisou de muita criatividade e paciência, e o resultado final foi surpreendente, eu fiquei apaixonada e pensei, “eu realmente sou boa nisso” rsrsrs. Outra obra que deixou um grande marco na minha vida, foi a obra Past Masters. Ela é feita com o quebra cabeça de duas mil pecas dos Beatles, que fiz durante a quarentena. Além de ser uma obra linda, acho que ela vai ficar marcada para sempre pelo fato de ter sido criada a partir de um passatempo que tive durante esse ano tão difícil que esta sendo 2020 para todos. Eu olho para ela e só consigo pensar o quanto a letra da musica “Imagine”, do John Lennon, faz sentido nesse momento. Não só nesse momento mas na vida toda. Começo a pensar em todas diferenças sociais, politicas, religiosas, que há no mundo, quando o mundo se comprovou mais uma vez que é um só e que todos somos iguais.

 

 8.Qual mensagem você deixa para quem quer iniciar a carreira de Artista?

Não desista! Se é o que você realmente quer, vá atrás, procure pessoas que possam te ajudar e apoiar , explore a sua criatividade. Como qualquer profissão, é muito difícil no começo, principalmente no Brasil, onde os artistas não são muito valorizados. Alguns podem não saber disso, mas todos artistas sabem que a arte esta em TODOS lugares. Sem a arte a vida não faria sentido.

0